Translate

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Resumo do ano 2013: os principais lançamentos para 2014.

Por Waldyr Costa
Fotos divulgação

Muitas novidades para botar na estrada em 2014.

Encerrado o ano de 2013, nos restou um saldo de boas novidades para 2014 que certamente mexerão na normalidade do nosso mercado. Algumas surpresas e outras ainda não anunciadas oficialmente para o Brasil, mas que certamente chegarão por aqui no decorrer do ano de 2014. Vamos rever não todos, mas os principais lançamentos que influenciarão as nossas decisões motociclísticas após a virada do ano.



Yamaha Fazer 150cc. Destaque entre as pequenas para 2014.

Nas pequenas o destaque é, sem dúvida, a Yamaha YS150 Fazer. A novidade promete uma briga de gigantes entre as tradicionais Honda CG e as novas Yamaha Fazer. A Honda amarga um declínio de 40% nas vendas da CG e tem se movimentado para que não piore. Até uma impensável garantia estendida de três anos, vinda junto com a remodelação da pequena 150, foi anunciada para barrar o declínio de vendas. O fogo cerrado contra a Honda vem de todos os lados e pelo jeito vai piorar. De marcas premium, como KTM com sua naked Duke e esportiva RC 125cc, às mais simples como as "Made in China", as balas cruzam o campo comercial da Honda e brigam pela fatia das motos de baixa cilindrada das formas mais variadas que um mercado como o nosso permite. Até desonesto, em alguns casos. Com os parâmetros de segurança e qualidade relegados ao último plano em favor dos Reais no bolso das indústrias ou representantes. Mas a maior preocupação da Honda será mesmo a nova Fazer de 150cc, que chegará com motor mais potente (potência medida na roda, que é o que se usa) e capacidade de queimar gasolina, álcool ou uma "mistureba" qualquer que seja vendidos nesses postos de combustível, muito econômica e com design mais elegante. Os principais destaques da Fazer 150cc são o motor bicombustível (Blueflex), rodas de liga leve com pneu traseiro de 100mm e o belo painel de instrumentos com indicador de marchas.

A Kawasaki Ninja 300 é a moto a ser batida na categoria das 250/300cc.

Subindo um degrau, vamos às 250/300cc. Algumas novidade já estão aqui, como a esportiva "super" Ninja 300 da Kawasaki. A moto a ser batida, pois tem qualidade para incomodar até a Honda CBR500R que está numa categoria superior, mas sem o brilho e a esportividade verdadeira da Ninja 300. Por ordem alfabética de fabricantes, vamos ver o que está chegando nesse nicho em 2014: a naked Benelli BN302, com seus motor bicilíndrico de refrigeração líquida e 37cv de potência máxima, deverá chegar no segundo semestre de 2014, a confirmar; a esportiva Honda CBR300R remodelada e com motor ampliado, mas, sendo monocilindro de baixo desempenho esportivo, embora não tendo poder de fogo contra a Ninja 300, tem o "mercado Honda brasileiro" para ser explorado - se for nacionalizada pode vender bem - e uma naked CB300 derivada desse motor poderá acontecer durante o transcorrer de 2014, já que a Hornet saiu de linha e ficar com o modelo atual da CB300R com  o mesmo visual de Hornet, com um motor que não é unanimidade entre os usuários, pode ser um erro; a própria Kawasaki já tem uma naked Z300 pronta para o mercado asiático e a sua chegada aqui no Brasil é um tanto provável; a KTM chega com suas excelentes nakeds Duke e esportivas RC de 200cc e 390cc, muito potentes e tecnologicamente avançadas, são as maiores ameaças às Ninjinas; a Suzuki trás uma excelente e esperada novidade, aliás, esperada a tanto tempo que pode ser tarde demais, pois só chegará às lojas em julho de 2014, é a bela GW250 Inazuma, uma naked clássica com o design espelhado na gigante B-King, foi apelidada de mini-B-King, tem motor bicilíndrico com refrigeração líquida e é um modelo totalmente voltado ao conforto, não briga nem com a 300 da Kawasaki e nem com a naked CB300R da Honda, é um modelo alternativo com  um belo painel e motor voltado mais para o torque em baixa, porém ainda vai demorar muito pra chegar e pode dar de cara com a forte Benelli BN302 nos seus primeiros dias de mercado brasileiro; a Yamaha fez o pré-lançamento da sua esportiva de 250cc na Europa, com direito a Valentino Rossi pilotando, mas ainda é uma incógnita para 2014. No final de tudo, o destaque continua sendo a Kawasaki Ninja 300, que em 2014 vai continuar sendo a melhor novidade da categoria, com seus 39cv de potência máxima, todos os requisitos de esportiva e desempenho de fazer vergonha a uma dessas novas 500cc, além do belo e inconfundível visual Ninja, ela será a moto a ser alcançada nesta categoria.

O surpreendente lançamento da família 500cc completa, no Brasil, foi o destaque das médias cilindradas, apesar das outras excelentes opções.

Chegando às médias, temos uma vasta gama de motos de 500cc a 800cc. Nesta categoria é um pouco difícil escolher um destaque sem ser injusto com outro. Foram boas motos, desde as básicas Honda CB500, passando pelas Benelli BN600, Suzuki SV650 Gladius e GSR750,  Triumph Street Triple, Yamaha MT-07 até as premium MVAgusta, KTM e Ducati, sem esquecer das novas esportivas da Kawasaki e Honda. O destaque para nós brasileiros poderia ser a Yamaha MT-07, se ela tivesse sido anunciada para cá, mas como não tem previsão, partimos para outra. O lançamento de maior impacto comercial certamente será a CB500F. Mas com sua faixa de preço um pouco alto, o consumidor pode optar por uma moto melhor e mais potente, investindo uns 10 a 20% a mais que seu valor, e pegar uma esperta Suzuki Gladius V2, uma Kawasaki ER-6n 2-em-linha, a Yamaha XJ6n com motor 4-em-linha ou até a Benelli, também 4 cilindros, BN600. Além da extinta Hornet 600, que venderá aqui somente o saldo da produção européia, pois ela é montada em sistema CDK, ou seja, no fundo ela é também importada com somente umas partes realmente "Made in Brazil". Da própria Honda tem também a NC700X, que já virou NC750X e tem a irmã NC750S (naked) que nunca chegou por aqui, por uma diferença de preço pequena. Já no patamar de médias premium, encontramos as excelentes GSR750 da Suzuki, Z800 da Kawasaki, KTM 690 Duke, Monster 796 da Ducati, MVAgusta Brutale 800 e Triumph Street Triple 675. Não é segredo que a melhor delas é a Triumph, que faz maravilhas com o motor tricilíndrico de 675cc. Mas a briga é muito parelha. Para sermos injustos e escolhermos somente um destaque, valos colocar como destaque a família CB500 da Honda: as CB500F, CB500X e CBR500R. O lançamento desta família completa aqui no Brasil foi uma realmente uma boa surpresa, apenas com a ressalva do preço não muito coerente.

A Suzuki V-Strom 1000 finalmente reaparece comercialmente e já tem passaporte carimbado para assistir à Copa no Brasil.

Nas motos de grande cilindrada o desafio é igualmente difícil. Com preços e opções para todos os gostos e bolsos, são customs, nakeds, esportivas, turismo, clássicas etc. Então vamos às mais-mais da parada. A Kawasaki Z1000 completamente renovada é o destaque entre as nakeds, mesmo não sendo a mais potente, seu design é realmente inovador e o uso de faróis de leds, sem refletores fez muita diferença no design da frente da moto. O conjunto é harmômico e moderno. Os primeiros testes feitos por revistas especializadas da Europa foram muito bons. Embora o visual dela sugira que ela é imbatível, quando se trata de desempenho a BMW S1000R, a Aprilia Tuono e a KTM 1290 R Super Duke superam a Z1000. Mas desempenho não é tudo. Nas maxi-hiper-super-trail-adventure, ou seja mais lá o que chamam, o destaque recai indubitavelmente sobre a Suzuki V-Strom 1000, que chega com uma moto leve, moderna, ágil e potente para brigar com a tradicionalíssima e rejuvenescida BMW R1200GS, a renascida Yamaha XT1200Z Super Ténéré, a competente Triumph Tiger Explorer 1200, a quase estradeira Kawasaki Versys 1000 e a KTM 1190 Adventure. Existem uma enorme relação de boas motos em outros tantos estilos, mas o destaque fica realmente entre a Z1000 e a V-Strom 1000. Apesar de pessoalmente preferir a Z1000, eu colocaria a Suzuki V-Strom como destaque por ser realmente uma novidade, por já estar confirmada para o Brasil, ter muito potencial nesta categoria em nosso mercado e certamente virá com um pacote de soluções e preço muito competitivo. Isto pode trazer um melhor equilíbrio ao nosso pendente mercado para preços altos.

A Suzuki trouxe 10 novos modelos ou atualizações para 2014 e se renovou para competir por uma maior fatia no mercado em 2014.

A marca em destaque este ano no Brasil foi claramente a Suzuki. Seus lançamentos para 2014 foram surpreendentes, embora muito tardios. Espera-se um melhor ajuste de preços no decorrer do ano com a chegada das concorrentes nas lojas. Os 10 modelos que chegaram foram a pequena GS120, um econômico modelo de entrada; a GW250 Inazuma, uma pequena notável, muito bonita e elegante, comporte de gente grande e acabamento esmerado, tecnologia moderna e conforto em primeiro lugar. Nas médias cilindradas, três ótimas motos, a street naked SV650 Gladius é uma moto muito eficiente, moderna, econômica e ágil. O seu tanque pequeno a deixa mais presa ao perímetro urbano, mas é a melhor naked média leve no momento em nosso mercado. A adventure V-Strom 650 ganhou a sua remodelação, ficou equiparada à versão européia e continua a ser a melhor média on-off em nosso mercado. Já nas médias mais "pesadas", a Suzuki trouxe a excelente GSR750, uma moto que não deve nada às melhores do segmento, traz consigo a tradição de décadas no mítico motor 750cc das esportivas Srad, levemente amansado para melhor se encaixar no perfil de uma naked. A última grande novidade é a chegada da poderosa estradeira e esporte-turismo GSX1250FA. Utilizando ABS de série, motorização e quadro da Bandit 1250 e alguns melhoramentos na eletrônica e suspensões, A GSX1250FA, irmã maior da nossa conhecida e bela GSX650F, é tida como o melhor custo-benefício da categoria. A sua única concorrente em nosso mercado é a Kawasaki Ninja 1000 que custa R$ 10.000,00 a mais e tem uma proposta um pouco mais esportiva. A nova on-off de aventura V-Strom 1.000 chega para morder a sua fatia na categoria das adventure de alta cilindrada. As outras novidades foram as atualizações e equiparações com o mercado europeu das esportivas GSX-R Srad 750cc e 1.000cc, além da Hayabusa que também se atualizou e chegou na versão com os novos freios Brembo com ABS. Parabéns à Suzuki e esperamos que o pós venda acompanhe a melhora do seu portfólio de produtos no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: seu comentário passará pelo moderador antes de ser publicado, então não será publicado imediatamente. Procure escrever em bom Português e não utilize linguagem ofensiva. Se comentar como anônimo, informe seu nome. Comentários desrespeitosos, ofensivos e com linguagem imprópria serão excluídos.