Translate

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Benelli BN600 - Uma 4 cilindros de 82cv na faixa dos R$ 24 mil.

Por Waldyr Costa
Fotos divulgação.

Benelli BN600: a montagem começou neste janeiro e as vendas iniciam
em março de 2014, com preço previsto na faixa dos R$ 24 mil. 

A Bramont já está montando a BN600 e iniciará as vendas logo após o carnaval. Se não houver nenhuma reviravolta econômica, a moto custará pouco mais de R$ 24 mil. Para uma 4 cilindros com qualidade italiana, não é nada mal. Ela promete dar uma esquentada no mercado das médias, pois vai incomodar desde a Honda CB500, que tem preço final em torno de R$ 23 mil, as Kawasaki ER-6n e Suzuki Gladius e outra Honda NC700X, todas bicilíndricas, além das quadricilíndricas Yamaha XJ6 N, Honda Hornet e Suzuki Bandit 650, que chegam na faixa dos R$ 30 mil. Sem contar com derivações esportivas, semi ou totalmente carenadas como as CBR500R, Ninja 650, XJ6 F, CBR600F e Bandit 650S. Nos quesitos status e design concorre até com as MV Agusta Brutale 675 e 800, Ducati Monster 696 e 796, Kawasaki Z800, Suzuki GSR750 e Triumph Street Triple 675, apesar delas estarem num paramar muito superior de aquisição e desempenho. 

O design segue o padrão Benelli de arquitetura arrojada.

A Benelli é uma tradicionalíssima marca italiana, conhecida pelo design e qualidade, além de boa mecânica. Desde sua aquisição, em 2005, pelo grupo chinês QJ, a marca vem sendo re-estruturada para
se reposicionar no mercado e fornecer know-how e tecnologia para a Keeway, també, do mesmo grupo chinês, especializada em motos de baixa cilindrada. A BN600 talvez se chame BN604, como no resto da América Latina. Na Europa ela é a BN600R e começa a ser vendida neste mês de janeiro. Com preço, qualidade e design na bagagem, a 600c de 4 cilindros da Benelli vem em condições de se colocar bem no mercado. O seu ponto fraco será a falta de concessionárias no Brasil, no que a Bramont deverá estar trabalhando forte nesse ano.

Uma boa opção para os iniciantes no mundo das médias, com uma 4 cilindros pelo preço de dois.

A BN600 foi criada e desenvolvida em Pesaro, na Itália, pelo dapartamento de enganharia da Benelli. Depois de terminado a fase de desenvolvimento, vem a fase de logística e ajustes de custos de produção. Nesse momento ficou decidido que apenas o motor não seria fabricado na Itália para reduzir os custos de produção e deixar a moto numa faixa de preço atrativo tendo, teoticamente um produto superior àquele do custo de aquisição. Então, toda a moto, exceto o motor, é fabricada na Itália. A produção do motor na China é feito sob as especificações italianas, o que não é demérito nenhum.

A traseira com saída dupla de escape reforça o ar de moto grande que a BN600 tem.

A Bramont deverá receber a estrutura da moto da itália e o motor diretamente da china, e então "juntar as partes", assim como é feito na Itália. O sistema de montagem CKD exige um número mínimo de peças "Made In Brazil", o que não será problema para a Bramont que já vem trabalhando assim para outras marcas. Mas a estrutura de vendas e pós-vendas, que são as concessionárias autorizadas, com seus departamento e vendas e oficinas, terá que ser desenvolvido praticamente do zero, já que quase não há revendas da marca no Brasil. Esse é o calcanhar de aquiles da Benelli, mas a vantagem é que, se a estruturação for bem elaborada e executada, haverá forte consolidação da marca no país, o que garante sucesso e progressão nas vendas.

A BN600 gerou boa expectativa da imprensa italiana, que não vê a hora de testar um modelo de série.

Mas vamos ao que interessa. Será que essa moto é realmente válida num mercado tão concorrido e cada vez mais disputado? Como ela se sai diante das outras concorrentes diretas e indiretas? Bom, em primeiro lugar o que a concorrência vai afirmar é que essa moto é chinesa. E isso você já sabe que não é verdade. Outra coisa é que a moto não vai ter assistência. Mas considerando que as assistências que temos são predimonantemente ruins e que os usuários só as utilizam enquanto a moto está na garantia, e depois correm para seus mecânicos de confiança, isso não é tão decisivo assim. As peças de reposição logo irão estar nas prateleiras das lojas do comércio especializado. Outra coisa crítica será o valor de revenda. Até a marca se consolidar e se firmar como produto válido, o risco de ter um baixo valor de revenda é real. Mas, em contrapartida, seu valor de aquisição por R$ 24 mil é bem abaixo das suas principais concorrentes Bandit 650 por cerca de R$ 30 mil e XJ6 N por R$ 28 mil, além do mais é uma tentação para quem está pra dar R$ 23 mil numa CB500F, R$ 27 mil numa Gladius ou R$ 30 mil numa ER-6n. (dados da tebela Fipe: www.fipe.com.br).

O motor de 4 cilindros é uma volta da Benelli aos anos 70, quando ela teve muito destaque com seus motores tetra.

Mas, tecnicamente, mecanicamente, o que é a BN600? Vamos começar pelo motor "Made in China", que é, teoricamente, um ótimo propulsor quatro cilindros em linha, quatro tempos, com injeção eletrônica com quatro corpos de aceleração de 38 mm de diâmetro, refrigeração líquida, quatro válvulas por cilindro e duplo comando no cabeçote, diâmetro e curso de 65,0 x 42,0 mm, exatos 600cc de capacidade volumétrica, taxa de compressão 11,5:1. Resultando em 82 cv @ 11.500 rpm de potência máxima e 5,3 kgfm de torque a 10.500 rpm. Utiliza escapamento com dois conversores catalíticos, quatro sensores de oxigênio, duas ponteiras silenciadoras. O câmbio é de seis velocidades. Isso caracteriza o motor como uma estrutura moderno. Sua potência e torque estão juntos lá no pico de rotação, ambas acima de 10.000 rpm, o que quer dizer que esse motor grita como um italiano raivoso, sem sombra de dúvida, no estilo Hornet, que também é um italiano em sua concepção. 

Conjunto suave e equilibrado, mas não é uma moto de corrida. É uma moto para o cidadão comum,
que pretende uma moto para o dia-a-dia, para passeios e para pequenas viagens de turismo.

É também um motor que vai precisar de rotação para começar a colocar um sorrizo em seus lábios, assim como todos os outros 4 cilindros que temos e tivemos recentemente no mercado. Não foram especificados os dados de aceleração e velocidade máxima, mas eu arriscaria dizer que ele faz de 0 a 100km/h em manos de 5 segundos e terá velocidade máxima superior a 200km/h. O que é mais que suficiente para viajar com segurança e se livrar de algum tráfego "perigoso" que venha a lhe incomodar.  Como é um motor recém-nascido, não esperem o grau de evolução de outros motores que já tem décadas de mercado, mas é certamente um motor para incomidar a concorrência. Medida na roda traseira, a potência da Bandit 650 é 85 cv, da Yamaha XJ6 é 77,5 cv e a Honda Hornet tem 93cv. Na prática essa potência nunca é utilizada e a XJ6 é normalmente vista como a melhor moto na cidade, a Bandit melhor na estrada e a Hornet melhor no autódromo. A BN600 vem tentar se encaixar nesse meio termo entre a XJ6 e a Bandit. 

A ciclística promete ser boa e utiliza componentes de qualidade como Brembo, Sachs e Marzocchi.
Vários ítens são de alumínio, incluindo rodas, balança e a parte superior traseira do quadro.

Para concorrer em ciclística, a Benelli lançou mão de uma mistura de tecnologias para o quadro. Utilizou treliça de tubos de aço na frente, abraçando o motor por cima, e estrututa de liga de alumínio na traseira. O "trem" dianteiro é composto por tubos telescópicos Marzocchi invertidos de 50 mm de diâmetro, curso de 120 mm, discos de freio flutuantes Brembo de 320 mm com pinças radiais duplas, rodas de liga de alumínio 17"x 3,5" montadas com pneu 120/70-ZR17 58W. O "trem" traseiro é uma balança de liga de alumínio, com monoamortecedor Sachs com extensor hudráulico e regulagem na pré-carga da mola, 123 mm de curso, disco de freios Brembo simples de 260mm com cáliper de dois pistões contrapostos e roda de liga de alumínio de 17"x 5,5" montada com pneu 180/55-ZR17 73W. Não é uma configuração top, mas com muita qualidade para o preço sugerido, afinal Marzocchi, Sachs e Brembo não são qualquer marquinha sem nome.

O banco do piloto é relativamente baixo, a 80cm dosolo, e as alças do garupa são elegantes e em formato anatômico.

O assento do piloto está a acessíveis 80 cm do solo, a distância entre-eixos é de 148 cm, a altura livre do solo é 18 cm, o peso em ordem de marcha é 220 kg, são 190 kg de capacidade de carga. O tanque de combustível tem capacidade para 15 litros, sendo três de reserva. Como a moto é lançamento com essa configuração, não foram feitos testes de longa duração nem testes de dinamômetro na Europa para a gente ter uma base, pois ela está começando a ser vendida neste mês de janeiro de 2014. Algumas revistas tiveram a oportunidade de "dar uma voltinha" no dia do pré-lançamento, mas não foram tiradas conclusões válidas pela brevidade do contato. Algumas mencionaram o "sangue" italiano do motor, o seu som e a sua disposição para trabalhar em alto giro, seu comportamento suave e equilibrado, escondendo muito bem o peso de 220 kg. O único ponto negativo mencionado foi a falta de suavidade da injeção eletrônica e que poderia ser tirado mais um pouco do motor. Mas numa avaliação de modelo pré-série, tudo pode ser melhorado até a sua entrada em linha de produção. Não é uma moto top, senão custaria o dobro. É um belo pacote, muito honesto em seu conjunto e que vale muito bem o que por ele é pedido. Resta apenas a Bramont ser bem sucedida na montagem da rede de concessionárias para as Benelli se consolidarem em nosso mercado com as boas motos que tem.

A BN600 tem identidade própria e pode ser reconhecida como uma autêntica Benelli por aqueles que conhecen os traços da marca.















7 comentários:

  1. Estamos aguardando uma moto assim a muito tempo, a cb500F é ridicula pelo que cobram, 23 só se for em são paulo onde nao cobram frete aqui em curitiba custa 24,5 sem abs, um absurdo para uma moto com apenas 50cv e dois cilindros, espero ansioso, a concessionaria de curitiba.

    ResponderExcluir
  2. uma otima oportunidade pra quem quer sair de uma 125cc ou 250cc e passar pra uma 4 caneco, espero que venha logo e estou ansioso pra compra uma.

    ResponderExcluir
  3. A potencia medida na roda está correta para a Hornet, mas está incorreta para a Bandit e XJ6. Para as duas últimas os valores digitados foram medidos na embreagem, portanto os valores medidos na roda serão bem inferiores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. Os valores são 75,5cv para a Bandit 650 e 66,5cv para a XJ6. Lembrando que essas potências podem variar até 10% para mais ou para menos, dependendo da pressão atmosférica, condições climáticas, viscosidade do óleo, temperatura de trabalho, etc. Considerando também que as motos estão com as configurações originais de fábrica (stock setup).

      Excluir
  4. Que venha logo. Estamos muito anciosos para ver uma benelli rodando em nossas ruas novamente.e para os hondeiros e Yamaha de plantão que são acham que só existe essas duas marcas no mercado podem se preparar porque quando vcs passarem perto de uma benelli vcs vão se apaixonar.e nem me venha falar de pos venda porque vcs sabem que isso no Brasil e Balela e vai sempre continuar sendo.

    ResponderExcluir
  5. Preco justo moto perfeita.

    ResponderExcluir
  6. Caraca...galera!!! Em 2015 quero uma 4 cilindros.... e a dúvida cruel é: XJ6 ou BN 600??? Sou do interior de MG, mas quando abrirem a concessionária em Belo Horizonte, irei lá verificar pessoalmente a máquina para decidir.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: seu comentário passará pelo moderador antes de ser publicado, então não será publicado imediatamente. Procure escrever em bom Português e não utilize linguagem ofensiva. Se comentar como anônimo, informe seu nome. Comentários desrespeitosos, ofensivos e com linguagem imprópria serão excluídos.