Translate

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

KTM 390 Duke, uma arma da KTM para conquistar o público brasileiro.

Por Waldyr Costa
Imagens de estúdio por Mitterbauer H., externas por Schedl R./divulgação KTM Áustria.
KTM 390 Duke: 43cv em um monocilindro de 373cc, design, tecnologia e leveza. Promete muita diversão.

Uma por todas. É o que promete a KTM em seu slogan para a 390 Duke, uma moto que vale por muitas. Se você procura uma moto de qualidade, divertida e com preço acessível, esta Duke é o páreo mais duro que se pode colocar num comparativo de médias pequenas, entre 300cc e 400cc. Tecnologia em "estado de arte" é uma especialidade da KTM, e esta pequena grande moto vai impressionar pela sua força, leveza e dinâmica. Com 139kg a seco (aproximadamente 152kg com tanque cheio), 43cv de potência máxima, e pouco mais de 370cc no motor, ela tem atributos de causar inveja na concorrência. Comece a ler, e no final diga que não quer ter uma.



Esta aqui é bonitinha, gostosinha e safadinha. Ela vai querer pegar você que tá dando bobeira entre 300cc e 500cc.
O cockpit do piloto tem tudo que caracteriza uma genuína KTM. Desde o chassi, com componentes de alta qualidade, ao painel digital multifunção que lhe mantém informado sobre o consumo e a autonomia restante. Uma vasta gama de opções lhe permite personalizar sua moto ao seu gosto.

Passeando ou radicalizando, a 390 Duke está sempre pronta e corresponder.

A KTM 290 Duke foi projetada para oferecer conforto na condução a dois, passeando a só ou pilotando de uma forma mais radical. Com a posição do piloto mais ereta, o campo de visão fica ampliado. A agilidade e segurança da moto é obtida com um ótimo espaço para deslocamento, que permite tanto o piloto ter mais sensibilidade, como uma vasta opção de posicionamento para otimizar o controle durante a pilotagem da moto. O tanque ajuda nesse aspecto com uma boa área para encaixe dos joelhos.

Rodas e pneus estudados para o melhor desempenho, segurança e durabilidade. O pneu traseiro é um grande 150mm.

As rodas de 17 polegadas oferecem leveza, estabilidade e sensibilidade para a pilotagem com seu composto de alumínio. São calçadas com os ótimos pneus Metzeler de 110mm na frente e 150mm atrás, que demostram grande aderência, tanto no seco como no molhado, bem como grande durabilidade.

O sistema de freio Brembo com ABS Bosch 9M é um conjunto de qualidade profissional, preparado para condições extremas.

O sistema de freios ABS BOSCH 9M é o que há de melhor na atualidade, com a opção de ser desabilitado para aqueles que sabem como se divertir de uma forma mais radical. Combinado com pinças de quatro pistões radiais Brembo e disco de 300mm, o conjunto dianteiro é extremamente potente e combina perfeitamente com as qualidades do quadro.

Muita potência e pouco peso são ingredientes de uma receita esportiva. Aliados à alta tecnologia, o resultado impressiona.

Com potência de 43cv e peso a seco de 139kg, a 390 Duke é muito ágil. Um quadro de primeira classe é formado por tubos numa estrutura tipo treliça, já bem desenvolvido pela KTM, que faz da moto uma verdadeira surfista de curvas. O centro de massas baixo e próximo ao centro de gravidade promove a precisão e a manobrabilidade, perfeitas para se livrar do trânsito pesado na hora do rush.

A suspensão também utiliza materiais nobres para oferecer  uma ciclística com desempenho compatível com o motor.

O sistema de amortecimento dianteiro é feito com um par de bengalas invertidas de 43mm da WP com a mesma qualidade de um equipamento de competição, oferecendo alto nível de precisão e estabilidade. A balança traseira de liga de alumínio usa o mesmo sistema da 690 Duke, com vigas de face externa treliçada, com link de articulação acoplado no amortecedor traseiro WP, obtém extrema resistência à torção e altíssima estabilidade direcional.

A moto foi detalhadamente pensada para ser ágil e econômica. Não faltam componentes de qualidade. Padrão KTM.

O motor tem um projeto bem elaborado, injeção eletrônica de última geração e câmbio curto de seis marchas. Isto permite a 390 Duke ter, não somente uma grande performance, mas também um consumo de combustível extremamente baixo. E graças ao conversor catalítico, as emissões são mínimas. A capacidade de 11 litros do tanque de combustível ajuda a manter o centro de gravidade baixo e mesmo assim ainda permite uma ótima autonomia graças ao baixo consumo de combustível.

O cilindro do motor tem revestimento de NiCaSil para reduzir o atrito, aumentar a durabilidade e liberar mais potência.

O propulsor monocilíndrico é completamente novo. É um característico exemplar da força da KTM, com tecnologia em estado de arte. Fica claro que os materiais nobres e a tecnologia de produção não só entregam um massivo torque e forte aceleração a qualquer velocidade, como também suavidade e incrível economia no uso diário. Com 373cc de capacidade e pesando apenas 36 kg, graças ao compacto design típico da KTM e o sistema de transmissão sobreposta. Além do mais, ele entrega 43cv com tanto refinamento técnico, quanto o revestimento de NaCaSil do cilindro e a bomba de óleo para lubrificação forçada, que não só envia o óleo, mas mantém a pressão no cárter, reduzindo a resistência no eixo do virabrequim.

Alguns itens da 390 Duke rivalizam até com os da superesportiva RC8R, com as bengalas invertidas de 43mm.

Assim como na esportiva RC8 R, as 4 válvulas no cabeçote do cilindro da 390 Duke são acionadas por um duplo comando. A arquitetura é extremamente confiável e também muito durável, quase sem atrito, graças à cobertura de carbono duro dos balancins, liberando ainda mais potência. O compacto sistema de escape, com três câmaras, é posicionado perto do centro de gravidade médio. Ajuda na centralização das massas e a manobrabilidade geral da moto.

A KTM 390 Duke é um legítimo exemplar premium, com extrema qualidade e excelência na engenharia.
Considerando o preço praticado na Europa e tomando como referência o preço da CB500F ABS, que é bastante próximo, esta MTK Duke custaria algo em torno de R$ 21.000,00 no Brasil, se tomarmos o preço final da CB500F por R$ 23.000,00 praticado pelas concessionárias. Então sua concorrente mais direta em preço seria mesmo a 500 da Honda. Preço um pouco acima dos R$ 20.000,00 da Kawasaki Kinja 300 ABS e incrivelmente o preço da Benelli BN600 ficaria apenas 3 mil Reais acima, por R$ 24.000,00. A concorrência é forte, e apesar da altíssima qualidade da KTM, as concorrentes de maior cilindrada colocadas aqui ganham em conforto e suavidade. O motor da KTM é muito esportivo e pede giro para divertir. A 390 Duke concorre mais com a Ninja 300 em termos de esportividade. A revista francesa Moto-Station colocou a 500 da Honda frente a 390 da KTM no dinamômetro e a KTM apresentou uma potência equivalente, chegando a superar a 500 por duas vezes, porém ela é mais linear (melhor) na CB500. Também apresentou uma curva de torque alta, mas não superando a 500 da Honda em nenhuma faixa de rotação, considerem que ela tem 100cc a menos no motor. No quesito desempenho a KTM é exemplar devido à ótima relação peso x potência/torque. Inclusive com desempenho superior à 500 em velocidades acima de 110km/h, à custa de mais vibração e menos conforto. Porém, quem quer esportividade não se importa muito com o conforto, não é? E também comparar a vibração de um monociclindro com um bicilíndrico ou um quadricilíndrico é pura covardia. Essa KTM é a cara do jovem consumidor brasileiro, que predominantemente valoriza o desempenho e o design em primeiro lugar, para depois considerar a economia e por último o conforto. Os mais experientes terão certamente outro ponto de vista, mas esta moto não foi feita pera eles.


Matérias relacionadas a esta:

Kawasaki Z300 2015 - naked derivada da Ninja 300.

21 comentários:

  1. Estou esperando muito por essa 390,quando chegar,certamente comprarei.

    ResponderExcluir
  2. É como deus, È o que todos procuram e desejam, não importa qual o caminho, sabemos que existe, porem o brasileiro nunca ve, É como o fim do mundo, cheio de previsões mas nunca chega

    ResponderExcluir
  3. E se a MT 07 chegar? Qual vai ser melhor negocio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duas categorias diferentes, preços também diferentes. Não compare.

      Excluir
  4. Duke 390 ou CB 300f qual a melhor no preço e na qualidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No preço, sem dúvida, a Honda CB300F será mais em conta, pois é uma moto básica. Em qualidade certamente esta Honda não concorre com a KTM 390 Duke, que está num patamar acima. A Honda foi feita para rodar na cidade e economizar combustível. A KTM foi feita para competir e vencer. É só ler a ficha técnica das duas para saber que são de mundos diferentes.

      Excluir
  5. Creio que importa sairá mais barato do que comprar aqui no Brasil. em portugal ela esta por menos de 5.000 euros, entao aqui no brasil virá com um preço bem salgado mesmo. Vamos aguardar (ass. Luciano A.)

    ResponderExcluir
  6. E NÃO. A KTM DUKE 390 ABS NÃO ESTÁ A MENOS DE 5000, 5300 É O MAIS BAIXO QUE SE ARRANJA

    ResponderExcluir
  7. KTM é referência de tecnologia sobre duas rodas. Essa Duke 390 é muito show, a Duke 200 também não fica atrás, motor monocilíndrico de 200cc que libera 25cv não é para qualquer um não.

    ResponderExcluir
  8. MT-07 vs. KTM 390?? Dependendo do preço a DUKE é mais negócio! Duas nakeds que disputam com Gladius, CB500 e ER-6N.

    ResponderExcluir
  9. e o seguro quanto custa ?

    ResponderExcluir
  10. Essa moto ficou posicionada entre Ninja 300 e CB 500.
    Toma pau da Ninja e é muito menos confortável que a CB 500 alem de perder no torque também.

    21 conto pra andar de KTM e ser ultrapassado por uma GS 500 1997 de 7 mil. Qualquer um que parar pra pensar vai se ligar que da pra pegar uma XJ6n com apenas 10/12 mil km rodados.
    Nao to dizendo que a moto é ruim, to dizendo que é cara demais (ja sei, culpa dos impostos e bla bla bla)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe de nada inocente...

      Excluir
    2. Veja os reviews dessa KTM, depois você as respostas. Essa moto é excelência pura, não é motinho vendida à 20.000 dilmas furadas que o povo compra achando que tá andando de motão...rsrsrs. Ninja 300, CB300, Next250...tudo "motão", né? E pensar que lá fora temos HORNET 250 4cc. Acho que um cara que posta que uma Ninja 300 dá pau em uma KTM 390, não entende de motos...rsrsrs. Vai brazuca, compra CB300 achando que tá comprando "motão"! Eu apoio, e rio...

      Excluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. Como é o consumo desta moto na cidade e na estrada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Removido acidentalmente o seu primeiro texto:
      "Eu estou completamente apaixonado por esta moto,isso que nem vi a bixinha ao vivo e a cores, nem andei nela, mas viajo muito todo o ano. Este ano vou a Natal-RN ( De Esteio-RS a Natal-RN). Tenho uma CB 300 2014, já com 32.000 km de estrada Brasil a fora. Fico pensando se esta seria uma moto para viagens longas assim, comigo, a esposa e a bagagem em cima. "

      Excluir
    2. Olá, Jorge. As motos "pequenas" não são as melhores para longas viagens continentais como a que pretende fazer, justamente por serem modelos de uso preferencialmente urbano, assim como a sua atual CB300. Normalmente as motos voltadas para o turismo são as GT (Gran touring) e as ST (Sport Touring), usualmente com motor de média ou alta cilindrada. Porém, em termos mecânicos, a moto aguenta muito bem, vocês é que vão sofrer pelo baixo conforto. A KTM estava desenvolvendo um modelo adventure (trail/on-off road) derivado desta plataforma, o que a tornaria uma moto muito melhor para longas viagens. Quem sabe ele não aparece no salão de Milão do próximo mês? Segundo alguns usuários do Fuelly, o consumo médio na estrada fica próximo de 25km/L, com mínimo de 30km/L e máximo de 20km/L. Na cidade é equivalente a isso. Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
    3. Ah, esqueci de comentar que as motos Trail e Adventure também são ótimas para longas viagens.

      Excluir
  13. Essa moto é incrível! A Duke 390 é lindíssima, quem já viu de perto, sabe bem o que eu estou dizendo.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: seu comentário passará pelo moderador antes de ser publicado, então não será publicado imediatamente. Procure escrever em bom Português e não utilize linguagem ofensiva. Se comentar como anônimo, informe seu nome. Comentários desrespeitosos, ofensivos e com linguagem imprópria serão excluídos.