Translate

segunda-feira, 14 de abril de 2014

KTM volta ao Brasil em 2014.

Por Waldyr Costa
Imagens divulgação

Matriz da KTM na Áustria.

A KTM é a mais tecnológica companhia de produção de motocicletas no planeta. É também a empresa que mais cresceu nos últimos anos, batendo significativos recordes de faturamento. O segredo para conseguir tudo isso é a competência que os austríacos impõem aos seus produtos. Vamos conhecer a sua linha de produtos que, aos poucos, irá compondo a gama de modelos que será vendida no Brasil. 


O poderoso motor LC8 trabalhando no limite, no banco de provas do laboratório de desenvolvimento da KTM na Áustria.
Esses tubos em brasa são realmente do escape, como você está imaginando, com o motor em altíssima rotação. 

Existem várias marcas premium de motocicletas, entre as principais estão as européias BMW da Alemanha; Benelli, Ducati e MVAgusta da Itália e a Triumph da Inglaterra. Como já dissemos, a KTM da Áustria está destacada entre essas "top brands", não só em faturamento como em qualidade dos produtos. São tecnologicamente avançados e muito eficientes mecanicamente, com altíssimo rendimento. E além de tudo, a marca que já é uma tradicional papa-títulos de off-road, começa a se destacar no asfalto também. 

A KTM Duke sendo levada ao limite no dinamômetro do banco de provas da fábrica.

Sua volta ao Brasil, após um mal sucedido período com representantes locais, acontece após a empresa ter acertado um contrato de produção com a Dafra, que já tem o know-how de montar, entre outras, para a Ducati e a BMW, no Brasil. A KTM entra em em seu currículo de montadora já reconhecida e com capacidade para atender marcas premium em nosso mercado.

Os diretores da marca finalmente conseguiram um acordo para voltar ao Brasil.
Somos um mercado muito importante e com bastante potencial para a KTM.

Foi informado, extra-oficialmente, que a KTM colocará ainda este ano, à venda no Brasil, a linha off-road. Seguida dos principais modelos e de interesse ao consumidor brasileiro, como as urbanas de baixa cilindrada e as tops naked e adventure.

Esta é uma das prateleiras onde ficam armazenados os modelos que saíram da linha de produção.

Para um maior esclarecimento do que pode vir ao nosso mercado muito em breve, apresentaremos as principais motorizações da marca em cada tipo de produto, como os de cross, enduro, trial, supermoto, turismo, urbano e esportivo.

A KTM é uma colecionadora de títulos off-road, além de dominar o campeonato mundial de Moto3 no asfalto.
LINHA CROSS: MX

Começando com a linha cross, que é a série SX/SX-F. As SX são motorizações de dois tempos, enquanto que as SX-F são com motores quatro tempos - F é para "four stroke", 4T em inglês. Elas utilizam o mesmo quadro e suspensões, variando apenas os motores 2T e 4T com suas respectivas cilindradas.

Esta é a cross KTM 125 SX: motor 2T e 90,8kg. As suspensões são WP com curso de 300mm na frente e 330mm atrás.
Muito parecida com a 125, a 150 SX utiliza o mesmo setup, muda apenas o motor para 143,6cc.
250 SX: também 2T, pesa 96,3 kg. O setup mantém o mesmo tanque de 7,5L e as suspensões WP com mesmo curso.
Ela é tem a melhor relação peso x potência do mercado.
Aqui temos a mesma 250, sendo que agora com motor 4T, se chama KTM 250 SX-F. O peso subiu para apenas 102,8 kg.
Ela detém todos os títulos dos últimos cinco anos no campeonato mundial de MX2.
Aqui está a KTM 350 SX-F. Seu motor 4T tem dominado o mundial de MX1 com sua excelente relação peso potência.
Pesa 104,9 kg. A incrível performance do motor de 350cc faz frente aos 450cc da categoria principal do mundial de cross.
Com 106,1 kg a KTM 450 SX-F é a top da linha cross. Campeã mundial em 2012, tem o motor meis potente da categoria. Porém essa potência não é declarada pela KTM para nenhum modelo off-road, visto que é alterável.
LINHA ENDURO - EXC

A seguir temos a linha enduro que, assim como a linha cross acrescenta o "-F" para as motorizações 4T. Essa linha se chama EXC quanto usa motores 2T e EXC-F quando são os 4T. Também temos o mesmo caso das cross, quando todas usam o mesmo quadro, a suspensão dianteira WP Up Side Down 4860 MXMA PA de 300mm e a traseira WP PDS 5018 DCC de 335mm.


Como visialmente quase não há diferença, mostramos apenas a 300 EXC para a linha com motores 2T: 125, 200 e 250.
E aqui a 450 EXC-F representando as outras 4T de enduro: 250, 350 e 500.

LNHA TRIAL: FREERIDE

A linha de motos de trial, voltadas para percursos com escaladas e grandes obstáculos, como leito secos de rios cheios de pedra ou mesmo provas de trial. Freeride á algo como "pilotagem livre". Esta linha conta com apenas três motos: uma 250 2T, uma 450 4T e uma elétrica de 22kW.

Esta é a Freeride 250 com  motor 2T. Conta com suspensão dianteira WP 4357 MXMA de 250mm de
curso e suspensão traseira WP 4618 PDS DCC com 280m de curso. Tanque de 7L e peso de 92,5 kg.

KTM 350 Freeride 4T. Mesmo setup da 250, porém com 99,5 kg.
KTM Freeride E. Esta é a elétrica, com motor de potência nominal de 7,5 kW (cerca de 10CV) e potência máxima
de 22kW (30cv). Utiliza baterias de íons de lítio capazes de serem caregadas em apenas 1h30.  O quadro é um
 bicomposto de aço e alumínio, com subquadro de poliamida e plástico ABS de alta resistência. A suspensão
dianteira trabalha com 250mm de curso, enquanto que a traseira oscila 360mm. Seu peso é de bons 95 Kg.

LINHA SUPERMOTO - SM

Nesta linha a KTM conta com apenas dois modelos. Mas são duas máquinas de respeito. Uma 450 e uma 690 se encarregam de manter as SM no topo. Duas feras. A 450 SMR, tem o R de "racing" e é, logicamente, uma moto de competição. Uma das melhores do mercado. São apenas 110kg com a força do melhor monocilindro 4T de 450cc. Suspensões WP de alta qualidade e quadro de cromo-molibidênio muito estáveis. Ela é uma ferramenta muito afiada para os que estão no mundo das corridas de supermotard. Já a 690 SMC é uma alternativa para quem quer uma moto para andar na rua e brincar nas pistas nos fins de semana. Conta com duas velas de ignição em seu monocilindro, acelerador eletrônico "ride-by-wire", novo sistema de ABS e o chassis de cromo-molibidênio melhorado e pintado pelo sistema "powder-coating" na cor laranja KTM. Potente, esportiva e muito confortável para uma SM radical. Uma amostra de uma moto "state-of-the-art".

KTM 450 SMR, somente para os circuitos. Afiada para a briga. Setup de ponta, peso pena e motor muito potente. 
KTM 690 SMC, para as ruas e os autódromos. Versátil e muito agressiva. Briga bem e tem um ótimmo peso de 140kg.


LINHA ADVENTURE

Esses modelos nasceram basicamente como motos on-off road. Era muito versáteis e capazes de encarar estradas de terra com muita desenvoltura. Porém, com a tendência de os usuários utilizarem este tipo de moto em turismo de aventura, com trajetos predominantemente asfaltados, estas motos foram seguindo esta tendência. E apesar da suspensão ser capaz de encarar irregularidades em alta velocidade, ela vem calçada com pneus para uso em piso pavimentado. Elas se tornaram motos de turismo e deixaram um pouco o lado aventureiro off-road em segundo plano. Mas se você calçá-las com pneus "off", também não vai se arrepender. Esta linha conta com apenas um quadro e motorização, mas tem duas versões: a 1190 e a 1190R.

A KTM 1190 Adventure tem também uma irmã, a 1190 Adventure R, um pouco mais equipada.

Ambas contam, com exclusividade, com o sistema Bosch MSC (Motorcycle Stability Control) integrado com o sistema ABS, que lê o grau de inclinação da moto e dosa efetivamente o controle de frenagem mesmo com a moto inclinada, o que não ocorre com um sistema de ABS convencional. Outro destaque é a potência de 150cv para apenas 230kg de peso com ela totalmente abastecida e pronta para viajar. O motor pode ir da mansidão à brutalidade conforme queira o piloto, de forma progressiva e eficaz. O conjunto de suspensão e quadro permite desde uma viagem relaxada a uma tocada mais esportiva com conforto e segurança, sem deixar de lado o prazer de pilotagem esportiva. O motor V2 de 1.195cc @ 75º e o "tancão" de 23 litros podem levar você por longos trechos em alta velocidade de cruzeiro, sem a precupação de ficar parando a cada hora para reabastecer.


LINHA NAKED - DUKE

A famosa linha DUKE da KTM está completíssima. Conta com motos de 125cc, 200cc, 390cc, 690cc e 1290cc. Tem para todos os gostos e bolsos. A nossa expectativa é que todas elas estejam à venda em nosso mercado em 2015, pois anteriormente estavam à venda a média e a top. Como a entrada no mercado brasileiro está focada também na briga pelo mercado das pequenas, os modelos de 125, 200 e 390 estão no topo da lista para estarem por aqui até o final do ano.

A KTM 200 Duke de 25cv é visualmente igual à 125 Duke.
São motos leves e com motores de ótimo rendimento dinâmico.


Esta é a 390 Duke, são 43cv e pouco mais de 150kg. Alta tecnologia e qualidade para fazer tremer a concorrência.
690 Duke R, assim como a versão mais básica 690 Duke, utiliza o maior monocilindro da marca.
Com quase 70cv e levíssimos 160kg já com tanque cheio, parece uma 250 em agilidade e leveza.
Suspensões WP com curso de 150mm e tanque para 14 litros de gasolina. O disco dianteiro tem 320mm.

A Super Duke 1290 é uma naked de exatos 1.301cc, com uma das melhores potências disponíveis atualmente: 180cv.
Já publicamos sobre ela aqui no blog e você pode ler aqui.


LINHA SUPERSPORT

Assim como a linha naked, a linha Supersport está ampliada com o lançamento das pequenas RC em 2014. São as KTM RC 125, RC 200 de 25 cv e a potente RC 390 de 43cv. Mas não tem a versão 690 nesta linha. A top KTM 1190 RC8 R é uma bicilíndrica em V @ 75º de 1195cc e 173cv. Seu peso é de 197kg com tanque cheio.

As RC 125, 200 e 390 mantém as mesmas especificações de motor das Duke.
Esta acima é a RC 200 que disponibiliza 25cv. Visualmente idêntica, a RC 125 tem 15cv. 

Um pouco mais diferenciada nos grafismos, a RC 390 tem os mesmos 43cv da Duke
que empurram um peso de 155kg com tanque cheio. Muito bom para esta categoria.

Aqui mostramos a top esportiva, RC8 R. Ela estará competindo em diversos campeonatos de superbike este ano.
A KTM tem tido um crescente destaque no asfalto, enquando que sua tradição nos off-road permanece forte. 

É isso, amigos motociclistas. Para aqueles que admiram a marca, ou uma máquina de alta tecnologia, com excelente rendimento e eficiência mecânica, a KTM certamente não pode estar fora de suas listas. Torcemos para que a KTM seja bem sucedida desta vez e consiga fazer uma boa e ampla gama de revendas em todo o Brasil, para garantir assintência técnica e tranquilidade aos usuários da marca. Torçam para o seu modelo praferido ser o primeiro em produção. Boa sorte.

Um comentário:

ATENÇÃO: seu comentário passará pelo moderador antes de ser publicado, então não será publicado imediatamente. Procure escrever em bom Português e não utilize linguagem ofensiva. Se comentar como anônimo, informe seu nome. Comentários desrespeitosos, ofensivos e com linguagem imprópria serão excluídos.